terça-feira, 2 de junho de 2015

Vou tentar voltar, aos bocadinhos- Resumo dos últimos dias

Desculpem-me. Não falecemos, não nos aconteceu nada de mal.
Apenas me calhou na rifa um bebé que não é come e dorme e não gosta de estar acordado sem ser a pedir atenção.
Há dias mais fáceis do que outros. Parece que se chamam "high need babies", sei lá eu. Só sei que os primeiros tempos da maternidade são duros, muito duros. O meu marido já está a trabalhar há quase um mês (é completamente incompreensível o pouco tempo de licença do pai. Se querem fazer algo pela taxa de natalidade deste país, mas algo a sério, a primeira coisa que têm a fazer é aumentar as licenças parentais pagas a 100%. Isso sim seria uma medida com impacto nas vidas das famílias.), ou seja, estou por minha conta.
Não tenho ajudas da minha família, não tenho primos nem irmãos, e os meus sogros vão ficar com o miúdo quando eu for trabalhar, mas não têm saúde para me andar a fazer o que eu realmente precisava nesta fase, que é tratar da casa, fazer recados, etc. etc.
Há dias em que me sinto esgotada. Hoje é um deles. O miúdo não dormiu nada a noite toda, e apenas adormeceu agora (vamos ver por quanto tempo).
Há dias em que consigo tomar um duche, mas normalmente tenho de esperar que o Bomboco chegue do emprego. Quando ele chega, a nossa rotina é ele tratar do bebé, eu a fazer o jantar e arrumar a cozinha, depois se o puto não estiver a chorar (está quase sempre, a essa hora), vemos um bocado de televisão e pomos a conversa em dia antes de lhe darmos banho e a última refeição da noite. O meu marido já não se deita depois das 23h30, e eu, deito-me quando dá.
Amo este miúdo mais do que tudo, mas sem ajudas, não é fácil. De vez em quando lá o deixo com os meus sogros e vamos dar uma volta. Mas até agora só fizemos isso duas vezes. Penso que teremos de começar a fazê-lo mais vezes, quer para sairmos juntos, quer durante a semana, para eu descansar. A bem da nossa relação e da minha sanidade mental.
Mas quando penso nisso, em deixá-lo, e apesar de saber que ele fica em excelentes mãos, não sei o que me dá, parece que algo me impede. Não sei se é a ansiedade da separação, se é o medo de que os meus sogros me achem má mãe, se é tudo junto.
Não sei.
Sei que há dias em que estou esgotada e hoje é um deles.
É lindo ser mãe. Mas é duro.

6 comentários:

CM disse...

Antes de mais, muitos Parabéns!! :) não imagino o que seja, o trabalho que dá, mas acredito que o truque passa por conseguires deixá-lo com os avós de vez em quando para desanuviar...coragem!

Morango Azul disse...

Percebo perfeitamente o que dizes.
Tens que pensar: é uma fase e vai passar!
Beijinhos e calma!

Jovem $0nhador@ disse...

Acho que esse trabalho todo deve ser agora nos primeiros meses, depois vais ver que tudo corre melhor! Força!

Carla Tato disse...

É bastante complicado sim e eu ate tive bastante ajuda. Nao a conheço ( acho eu) mas se precisar de alguma coisa apite. Talvez possa ajudar. Beijinhos e muita calma. Há-de passar

Anónimo disse...

F*da-se, ainda bem que eu nunca quis ter filhos! Força!

Timtim Tim disse...

Já passei por isso duas vezes. E deixava-me enervada o facto de as pessoas acharem que porque acabamos de ser mães temos de estar sempre com a felicidade estampada no rosto.