terça-feira, 8 de julho de 2014

Picuinhas picuinhas

Já neste blog disse que dispenso pessoas picuinhas.
Mas deve haver uma lei de atracção qualquer, um karma, alguma coisa, que traz os picuinhas para a minha vida.
Como vos disse, mudei de casa. Por razões cá da nossa vida temos tido alguns problemas com o senhorio da casa anterior, precisamente graças à sua natureza picuinhas. Quando assinámos o contrato de arrendamento anterior cometemos um erro devido à nossa inexperiência e ingenuidade. E quando decidimos terminá-lo, cometemos dois erros pelo mesmo motivo. Passo a explicar:
Na assinatura do contrato não tivemos em conta o prazo de pré-aviso do contrato. Não pensámos que iríamos ter problemas quando quiséssemos sair, e por isso sempre fizemos tudo de boa fé. Primeiro erro. Erro esse, que já não cometemos no novo arrendamento. O pré-aviso do contrato anterior era de 4 meses. Sim, leram bem. 4. Nunca mais. É um dos melhores conselhos que vos posso dar neste assunto dos arrendamentos. Muita atenção ao tempo do pré-aviso. Eu tinha 24 anos e era inexperiente, Bomboco nunca tinha assinado um contrato de arrendamento na vida, e como ninguém nos ajudou na altura... Foi mesmo assim, fomos comidos por parvos neste aspecto. O novo contrato já não é assim porque nós aprendemos com os erros. O tempo exagerado de pré-aviso, e actualmente impraticável no mercado de arrendamento foi o erro número 1. Bem, um dos problemas foi, claro, o senhorio antigo querer o cumprimento integral da cláusula de pré-aviso. Depois de muita discussão, muitas horas passadas ao telefone, etc., lá conseguimos chegar a um acordo em que ele só ficou a ganhar e nós ficamos a perder menos do que inicialmente o contrato previa.
O erro número 2 foi termos dito a verdade quando anunciámos que queríamos sair da casa. Sim, eu sou burra, eu sei. Se eu tivesse dito que tinha ficado desempregada, por exemplo, certamente não iríamos ter tantos problemas. Mas enfim, disse a verdade e lixei-me.
Passemos ao erro número 3. O senhorio antigo não queria imobiliárias no assunto porque não queria pagar comissão. E eu, burra novamente, acedi. Ele disse que conhecia pessoas que estavam interessadas na casa. Esperei duas semanas até que me decidi a colocar um anúncio e pressionei-o no mesmo sentido. As tais pessoas interessadas nunca apareceram. E pronto, perdemos ali duas semanas que poderiam ou não ter dado um rumo diferente.
Agora que já tudo parece encaminhado e ele até já arranjou comprador para a casa, que era o negócio que ele queria inicialmente fazer, veio perguntar-nos sobre o chuveiro de origem da banheira. Sim, a banheira tinha um chuveiro velho e com pouca pressão, que nós substituímos por um novo, com mais pressão. E ele quer o velho. O velho estragado! Ora, claro que já não o temos. O que é que ele queria que fizéssemos com o chuveiro velho e estragado? Que o guardássemos como recordação? Arre que há gente difícil.
Perguntou-nos ainda porque é que tínhamos envernizado uma mesa velha que ele lá tinha, e nós recuperamos, sendo que a deixamos lá na casa, completamente nova, e perguntou também por uma prateleira velha que nós substituímos por uma exactamente igual mas nova.
Enfim. Só a mim.

2 comentários:

Pi Maria disse...

Essa do prazo de pré-aviso já sabia, é sempre algo a ter em conta quando se assina o contrato, que tanto vale para nós inquilinos como para o senhorio. No meu contrato vem estipulado 2 meses de pré-aviso, acho um prazo razoável, perfeitamente praticável, no entanto tenho conhecimento que existem muitos senhorios/imobiliárias que exigem 4 meses de pré-aviso, o que já é assim um pouco para o exagerado, tendo em conta a realidade. Mas vá agora já sabes :)
Beijinhos

Pérola do Atlântico disse...

Um picuinhas muito parvo. Vê que fizeram algumas melhorias na casa e ainda reclama..