terça-feira, 11 de outubro de 2016

O útero é meu, sim?

As pessoas gostam imenso de opiniar sobre a vida das outras pessoas. É um hábito muito português.
A minha avó é expert nisso! Tem sempre uma opinião mais ou menos disparatada para dar, mesmo que eu não lhe peça conselhos, como foi o caso.
A questão é que ando cheia de vontade de ter outro bebé. E calhei de comentar isso em casa. Ui, não estão a perceber o filme! A minha avó acha que eu não devo ter mais filho nenhum. As razões que ela aponta são o facto de a vida estar muito cara, eu trabalhar muito, ter pouco tempo, e o facto do David ser ainda pequeno e ser um bebé perfeito, pelo que qualquer bebé que venha a seguir não será como ele. Dá para não responder?

Eu não consegui falar calada e disse-lhe que se ela teve 3 sem nunca sequer ter frequentado a escola, com muito menos condições económicas e com 3 empregos, eu também iria conseguir ter os meus. E que no meu útero, mando eu. Ela lá continuou a dizer que ainda assim eu não devia ter mais filhos.
Ainda arranjou que a minha mãe se chateasse com ela.
Normalmente, a maior parte das pessoas tem o problema contrário, que é a família a querer mais bebés. Pelos vistos a minha avó vai contra a corrente, um já está bom. E a criança nem primos directos vai ter.
Enfim, como eu lhe disse, no meu útero mando eu, e a decisão de ter ou não mais filhos será sempre minha e do meu marido. E se me bombardearem com comentários despropositados, levam com este tipo de resposta.

2 comentários:

Maggie F. disse...

a minha avó dizia o mesmo. É por isso que nunca partilho as minha ideias "com os meus", apresento o facto consumado. Também detesto palpites na minha vida!

Maggie

ML disse...

Ora nem mais. Mas existirão sempre opiniões destas... ora porque um é pouco. Porque 3 é demais. Ora porque a distância de idades dos irmãos é muita, ou porque é pouco e vai ser muito difícil... enfim!