sábado, 4 de janeiro de 2014

Não se tocam

Já por aqui o disse diversas vezes que não sou nada magra. Não sendo obesa, não posso dizer que seja magra. Já se torna um assunto do conhecimento público.
Do domínio mais ou menos privado, é o assunto de perder peso. Sim, já escrevi aqui no blog essa minha necessidade e intenção, mas este blog é anónimo, e muito poucas pessoas sabem a minha verdadeira identidade.
Assim sendo, não consigo perceber as constantes directas e indirectas de algumas pessoas da minha família, no que respeita ao meu peso. Estão constantemente a partilhar no meu facebook "receitas de chás para emagrecer", e outros "truques" que tais. Caríssimos, quem vos disse a vós, que eu quero emagrecer? E quem vos disse que preciso dos vossos "conselhos"? Eu podia sentir-me às mil maravilhas com o meu peso, e achar esses "conselhos" insultuosos.
E melhor ainda, porque insistem em lembrar-me constantemente do meu excesso peso?
Eu por acaso lembro-vos constantemente dos erros que cometem? De, em alguns casos, pouco deverem à inteligência? Das vossas falhas e incapacidades?
Não pois, não?
Então porque se acham no direito de me apontar constantemente um dos meus pontos fracos?
Não entendo, sinceramente. Ninguém gosta de ser recorrentemente lembrado da sua gordura, ou da sua magreza, ou da sua burrice ou seja lá do que for.
Sinceramente, podiam-se tocar mais um bocadinho.

2 comentários:

Ovelha Flor Guerreira disse...

Minha querida, sempre que me chamavam directa ou indirectamente mais gordinha, mais eu tinha vontade de comer. Já sofri na pele cenas horríveis por causa da falta de nível das pessoas!

Pi Maria disse...

Como te compreendo mulher! Passa-se o mesmo comigo :/ Apesar de ainda estar dentro do peso normal para a minha altura a verdade é que nestes últimos meses engordei para aí uns 10 kilos (a contar com o Natal e afins). Claramente que não ando para aí aos pulos de alegria com estes kilos e claro que pretendo emagrecer e voltar ao meu peso de antigamente, mas coisinha que dispenso muito bem são as directas/indirectas da família. A sério que dispenso. A minha mãe anda sempre a chatear-me, a dizer que tenho que emagrecer, a mandar bocas à frente dos outros, a fazer-me sentir mal, e vá isso é mesmo péssimo. Só para teres noção no Natal ofereceu-me um livro daquela nutricionista conhecida da dieta dos 31 dias...enfim, ha gente que não se toca...é que ainda por cima ela é gordinha, sempre o foi e tenho que a aturar constantemente. O melhor é não dar muito valor à coisa, senão quem se vai sentir mal somos nós.

Força aí mulher :)

Beijinhos