segunda-feira, 27 de abril de 2015

Maravilhas da gravidez #16 ou o que ninguém vos conta sobre o parto

O David nasceu de parto normal. Eu nunca fiz grandes planos sobre o parto que queria ou deixava de querer, pois sempre coloquei essa decisão nas mãos do meu médico, em quem confio em pleno. Eu sabia que ele iria optar pela melhor solução para o bebé e para mim.
Posto isto, posso dizer-vos que não sofri muito. Antes da epidural, tive contracções, dolorosas, sim, mas ainda no limite do razoável. Mas depois de me darem a epidural, foi remédio santo, O que nunca me tinham dito, mas eu cedo percebi, é que devemos pedir reforço de dose assim que começarmos a sentir umas dorzinhas ligeiras. Foi o que fiz e não sofri praticamente nada em todo o trabalho de parto. Sempre que sentia algo... Chamava a enfermeira. Porque o reforço nunca é tão forte como a primeira dose, além disso, demora algum tempo a actuar (10m, no mínimo).
Antes de ter de fazer força, levei nova dose de epidural. Claro que senti os toques que me faziam, o rebentamento da bolsa, senti a puxarem-me lá dentro... Sentir, sente-se. Assemelha-se a uma certa pressão, e não é confortável. Mas posso dizer que dores dores, nada. Mesmo na hora do bebé sair, o que sentia era puxões, nada que não conseguisse aguentar.
Desta forma, pode dizer-se que tive um parto "santo". E se já não compreendia as mulheres que não querem tomar epidural por opção, agora ainda compreendo menos. É que aquilo tudo é coisa para doer horrores. Portanto se a ciência arranjou forma de tornar a coisa menos penosa, que assim seja.
Agora, há certos pormenores que ninguém vos conta. Não é tudo lindo e maravilhoso, nem pensar. Posso dizer-vos que vão ser algaliadas e isso não é agradável. Pois. Eu também pensei que nos deixassem ir à casa de banho. Não. É mesmo pelo tubinho. Vão ter vontade de fazer número 2. E vão fazê-lo. Onde? Numa aparadeira. E como não se conseguem mexer direito, uma enfermeira/auxiliar vai ajudar-vos a limpar. Eu sei. Eu também pensava que o limiar máximo da minha dignidade era ter várias pessoas a porem-me as mãos aqui em baixo. Mas não. Há sempre mais por onde podemos descer.
Confesso que a parte de não poder ir à casa de banho, para mim foi um choque.
Mas adiante.
Ora, depois de me coserem e de eu já ter o bebé ao pé de mim, siga de ir para o internamento de obstetrícia. Ainda meio drogada, sinto que começo a ter algumas dores. Peço que me dêem algo para as dores. Dizem que sim, já vão tratar do assunto. Em pouco tempo apresentam-me benuron. E eu penso "como???". Peço se não posso tomar algo mais forte. Dizem que vão ver se posso tomar brufen. Eu começo a ver a minha vida a andar para trás, e as dores a aumentarem de intensidade a um ritmo bem forte.
Começo a desesperar quando me dizem que é mesmo assim. Não posso tomar nada mais forte, vou ter de me contentar com aquilo. 
Pois bem, fala-se muito nas dores do parto, mas se as pessoas forem devidamente sedadas (se assim o quiserem, claro), as dores que se passam são relativamente suportáveis. Agora, o pós parto... Para mim está a ser muito complicado. Naquele primeiro dia, quando o efeito da epidural passou, pensava que morria. Tenho tido muitas dores na zona dos pontos, e ninguém nunca me disse que doía assim. Outra coisa que me faz um bocadinho de confusão é a quantidade de sangue que se perde. Tenho perdido sangue de forma assustadora. 
E pronto, algumas destas questões foram completa novidade para mim. Não fazia ideia que se sofria tanto no pós parto, nem que durante o trabalho de parto, a utilização do wc estava vedada.
A parte boa é que cada dia parece que dói menos um bocadinho.
Estou é ansiosa por perceber quando é que me vou conseguir sentar...

12 comentários:

S* disse...

Oh, imagino que não deve ser fácil, mas deve ser uma sensação maravilhosa ter finalmente o filhote fora do forno!!

Jovem $0nhador@ disse...

Vai tudo passar e depois vais puder passar apenas momentos felizes com o teu bebé =)

ovelha negra disse...

aaaaaaaaaaaaaaah que fiquei com medo! :P

Sónia Miranda disse...

Bolas, realmente essas coisas ninguém fala...

Anónimo disse...

Muitos Parabéns Bomboca! Muitas felicidades para os três e acima de tudo muita saúde!
Relativamente às dores pós parto, as chamadas "dores tortas" aumentam e muito com o número de filhos. Ao terceiro (que foi o meu caso) é a doer!!! Mas tudo passa!
Tudo de bom!
Cláudia F.

Teresa disse...

Parabéns!! Não sei se é regra quem leva epidural não poder ir ao Wc, mas conto-lhe a minha experiência! Tive 2 filhos de parto natural,sem epidural (ainda não havia)A m.filha nasceu as 14h,levei pontos e no dia seguinte lá fui eu ao wc e tomar banho! Do meu filho o mesmo! Não tive dores a seguir, os pontos davam algum desconforto, as enfermeiras ensinaram-me a melhor maneira de me baixar (unindo os joelhos, só que as vezes esquecia)! Passada uma semana os pontos caíram!E com a ajuda do meu marido,pois já não tinha Mãe na altura!!Tenha calma que tudo vai ao lugar!

Anónimo disse...

Há um truque que podes utilizar para te sentares. Uma boia, mas uma pequena. Com um buraco pequeno ao meio.
Parabéns!

Anónimo disse...

Pois, pois, é tudo maravilhoso menos o que não se conta ;)

Para mim o limiar da dignidade foi ultrapassado quando o meu marido teve que me ajudar a subir a cueca/fralda... acho que depois disso ...

Morango Azul

Anónimo disse...

Parabéns. Quanto ao parto normal não posso falar, por que foi de cesariana, mas se fosse normal nunca poderia levar epidural devido aos problemas de coluna.
Mas, o que me apercebi é que o pós parto para a cesariana é mais fácil que o normal, 6 horas após o nascimento já andava a sarandar pelo hospital e via as colegas de quarto que tiveram o parto normal com mais dificuldades.

Curly disse...

Parabéns pelo bebé. Muitas felicidades.
Acho estranho isso de ser algaliada, deve ser procedimento do hospital ou assim. Eu tive 2 filhos, de parto normal, sem anestesias, e passadas umas horas pude levantar-me para ir ao WC e até tomar banho no dia seguinte...no segundo parto, como ele nasceu de madrugada, até tomei banho ainda nesse dia, lá mais para a hora de almoço...

Anónimo disse...

A minha bendita cesariana
..

ML disse...

Antes de mais parabéns pelo bebé. :) Lembro-me dessas dores no meu primeiro filho, agora neste segundo (nasceu dia 8abril, são do mesmo mês e ano os nossos babys! :)) não senti nada. Tive um pós parto e parto maravilhosos. duas horas depois do parto estava sentada a jantar. Não levei pontos e isso deve ter ajudado. Por isso continuo a dizer que um parto nunca é igual a outro. :)

Aqui fica o relato do meu parto:

http://tresquartosdetudo.blogspot.pt/2015/04/resumo-do-meu-magico-parto.html

bejinho e felicidades