segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Não, não têm assim tanto tempo quanto isso

A falta de informação grassa por aí fora e há uma em particular que me faz muita confusão. Diz respeito ao facto de algumas mulheres acharem que têm todo o tempo do mundo para terem filhos. Podem ter. Mas na maior parte dos casos não têm. E as pessoas dizem isso antes de se informarem convenientemente, antes de lerem e estudarem sobre o assunto.
Eu li bastante e digo-vos que a fertilidade de uma mulher começa a cair a pique após os 25 anos. Sim, leram bem. E depois, há ainda a ter em atenção que o período fértil varia de mulher para mulher, ou seja, há mulheres que ainda são férteis aos 33 anos, por exemplo, mas outras poderão já não o ser. Penso que a sociedade em geral e sobretudo as mulheres, andam muito enganadas sobre este aspecto. Pensamos que a culpa da infertilidade é das comidas que comemos, da vida sedentária que levamos e sim, pode ser também, entre outras coisas, mas é sobretudo do facto de adiarmos cada vez mais a maternidade. É um erro pensar que se é tão fértil aos 35 quanto aos 25.
Eu li muito sobre este assunto para poder tomar uma decisão consciente e para pensar sobre o que fazer devido ao meu problema de saúde. Mas a maior parte das pessoas não lê, não sabe.
Só isso explica vários testemunhos que vou ouvindo de mulheres que me são próximas, que, com os seus 31, 32, 33 anos e por aí, dizem que só querem ter filhos daqui a 3, 4 ou 5 anos. Eu espero sinceramente, do fundo do meu coração, que quando chegar à altura elas consigam, no entanto, sei que poderão não conseguir, pelo menos não facilmente. É esse o problema, as pessoas pensam que é tão fácil engravidar quanto é fácil evitar uma gravidez. Não, não é. Para engravidar, não basta que uma mulher deixe de tomar a pílula ou qualquer outro contraceptivo. Um casal poderá ser perfeitamente saudável e compatível, ter relações nos dias certos, e mesmo assim demorar meses ou até anos para engravidar. Confiem em mim, conheço alguns casos.
Para já nem falar naquelas pessoas que têm problemas de fertilidade e os desconhecem por completo.
Conheço alguns casos de mulheres que adiaram a maternidade e hoje, já perto dos 40 e sem filhos, estão tremendamente arrependidas. Ou porque a carreira estava em primeiro lugar, ou porque financeiramente ainda não era o momento, ou porque... Enfim, qualquer outra razão. Começaram a tentar com 35 anos e hoje, umas com 39 e outras com 40, não têm filhos e sentem-se desesperadas.
Choca-me particularmente o caso de uma pessoa que conheço, que começou a tentar ter o primeiro filho com 37 anos. Após um ano de tentativas frustradas, descobriu numa consulta médica que nunca poderia ter filhos porque o seu período fértil há muito tinha acabado. Nem com tratamentos de FIV. Hoje, ela está tremendamente arrependida de não ter começado a tentar quando estava a virar a casa dos 30.
Claro que me podem argumentar com outras histórias de mulheres que foram bem sucedidas com idade algo avançada. Claro que sim, eu própria conheço algumas. Mas são casos diminutos. Sobretudo no que diz respeito a uma primeira gravidez.

Não defendo que se deva ter filhos sem estarem reunidas determinadas condições. Nunca defenderia isso. Defendo sim, que devemos deixar de adiar as coisas para "o momento certo", porque esse momento poderá nunca chegar, se a nossa vontade for realmente essa. Defendo que devemos ter consciência das nossas opções e tomar as rédeas do conhecimento, ter todas as cartas em cima da mesa, para que possamos tomar decisões das quais não nos arrependamos depois.
Não, nem sempre temos assim tanto tempo quanto isso.

5 comentários:

Timtim Tim disse...

Eu fui mãe pela primeira vez aos 32 anos. E se soubesse o que sei hoje, quarentona, tinha sido muito mais nova. Porque agora, que nos decidimos pelo terceiro, tenho dúvidas que seja bem sucedida. Isto para além dos riscos inerentes.

Anónimo disse...

Concordo a 100%!

S* disse...

Não vale a pena adiar os sonhos.

Sofia disse...

Esse é um dos meus maiores receios.
Infelizmente estive a maior parte do meu "período fertil" com uma pessoa que me enganou.... todo o tempo me disse que sim, que queria ter 1 filho (e eu que sempre sonhei ter mais estava disposta a fazer essa concessão) e no fim confessou que não, que nunca quis ter filho nenhum e por isso é que sempre adiou essa decisão.

Não sei o que o futuro me vai trazer... mas espero que 1 dia consiga realizar o meu sonho!

Portuguesinha disse...

EU sei bem que o periodo fértil de uma mulher cai a pique a partir dos 25. Aliás, acho até que era 24. Quando eu tinha essa idade já tinha o desejo de ser mãe. Só que infelizmente a mulher não é hermafrodita e não pode gerar um filho sozinha. Se pudesse eu teria gerado três! Mas existiu no meu caso uma outra vontade ainda maior, algo secreta: eu queria doar óvulos. Eu não podia ser mãe, ainda era cedo, mas a ideia de permitir alguém o ser me agradava muito, muito mesmo. Não me incomodaria que um pedaço genético meu andasse por aí a ser criado por uma família que o desejou muito. Ao contrário: ia ficar contente sabendo que o fiz, que pude ajudar dessa maneira. Só que na altura não a doação de óvulos não era um assunto corriqueiro como é hoje. Era pouco conhecido, pouco falado e pouco aceite também. Pesquisei e aí percebi que existiam condições preferenciais: a mulher tinha de ser fértil (até os 24 anos) e já ter tido outros filhos. Além de ter de ser saudável, etc. TUDO isso eu era, só não tinha sido mãe antes. Se lamento? Claro. Muito. lamento ter nascido à frente do meu tempo em quase todas as áreas da vida. Hoje penso que já não é tão incomum existirem mulheres a doar óvulos para permitir outras mulheres serem mães. É simplesmente uma coisa que tem tudo a ver comigo e ia adorar tê-lo feito. Lamento profundamente não ter agora 24 anos.