sexta-feira, 12 de julho de 2013

De volta à civilização

Terminada a primeira fase das férias, é tempo de fazer o rescaldo do que se passou. Efectivamente, digo-vos que nem senti esta semana passar. Felizmente, com excepção do dia de hoje, apanhei um tempo maravilhoso, estou super morena com direito a insolação e tudo.
Entretanto, estive num local encantador, mas que não dispunha de Internet nem de... rede de telemóvel. É verdade. E se para as pessoas que lá moram isso não parece trazer qualquer confusão, confesso que a mim, habituada a viver rodeada de tecnologia, me fez muita impressão. Eu só pensava que se precisasse de alguma coisa não iria conseguir ligar a ninguém. Mas sem dúvida que é um local lindo, com água quente, praias maravilhosas... Recomendo!
Não obstante, creio que a localização tem potencial para muito mais. Infelizmente o povo português nem sempre reconhece o potencial que o nosso país tem, e por isso não tratam os de fora com o respeito e hospitalidade que merecem, mas sim com um ar de desconfiança e olhar pouco receptivo (refiro-me a algumas localidades do interior onde já tive oportunidade de estar). Efectivamente, as pessoas dos locais onde fomos, com excepção dos empregados do hotel, não são as mais amistosas. Digo que infelizmente, não se come bem por aquelas bandas. O que é uma pena porque eu adoro comer.
Não existem gelatarias, cafézinhos simpáticos para comer um snack, nada, o que não é o que se verifica, por exemplo, no Gerês, que sendo uma localidade tranquila, tem todos os serviços ao dispôr, e a cultura da própria terra e das suas gentes para com os turistas é bem diferente.
O hotel em que fiquei é muito bom. Piscina grande, esteiras, sombras, pequeno almoço razoável (podem melhorar um bocado), mesa de Ping Pong, Bilhar, Court de Ténis, tv plana no quarto... Mas lá está, não havia rede de telemóvel nem Internet. Mas recomendo a quem quiser conhecer, não se arrependerão da estadia.
Em suma, recomendo uma visita a Ferreira do Zêzere (e localidades contíguas), mas preparem-se para ficar alheados do mundo!

2 comentários:

Scarlet Red disse...

Já passei por isso no Alentejo, nomeadamente na zona de Stº André, que tem praias maravilhosas. Entras no único café aberto por volta das 2 da tarde e não há pão para uma sandocha... insolação, hã? Cuidado com o derretimento polar da bomboca!
:-O

Andreia Gonçalves disse...

Não acho que a ausência de rede possa ser algo mau. Ajuda a que as férias sejam mesmo férias, caso contrário perdes sempre algum tempo a atualizar-te, de certeza. A tecnologia é, por vezes, dispensável :)