segunda-feira, 20 de abril de 2015

Das várias coisas que não entendo- Comissão de Protecção de Crianças e Jovens?

Todos temos conhecimento da notícia horrível, que dá conta do padastro que matou a enteada à porrada, e feriu também o irmão da menina.
Para além de, claro, não perceber como é que alguém mata uma criança à porrada, não consigo perceber como é que uma comissão de protecção de menores, está 7 meses sem agir, sendo que esta família já estava mais do que referenciada. As crianças faltavam frequentemente à escola e a consultas médicas. Apesar da mãe ("mãe"...) trabalhar, a família vivia de ajudas do Banco Alimentar. E eu pergunto, como é possível, neste país dito de primeiro mundo, que uma comissão de PROTECÇÃO de crianças, esteja 7 meses sem agir, perante vários relatos de abusos, maus tratos, e negligência. Deixaram a situação andar durante 7 meses, a ver se acontecia o quê? Claro, este desfecho! Ou estavam sinceramente à espera que a situação destas crianças fosse melhorar?
Neste país ainda existe muito pudor em retirar crianças à sua família de sangue, independentemente do melhor interesse das crianças.
Neste país, os mecanismos da adopção não funcionam. As crianças ficam anos entre as instituições e as famílias biológicas sem condições, e rapidamente passam os anos, sem que estes menores tenham o acompanhamento e família que precisam e merecem.
Assusta-me que vivamos num país onde a miséria grassa, sobretudo a miséria de mentalidades, e não existam mecanismos estatais para colmatar estas falhas.
Não sei o que vai acontecer a esta criança que sobreviveu, e a todas as outras crianças que estão em situações semelhantes, que são ignoradas pela família biológica e pelo Estado, ou seja, precisamente por aqueles que as deveriam proteger.
O que sei é que, como digo sempre, esta gente de merda não tem problemas de fertilidade.

2 comentários:

Til disse...

Há pessoas que nunca deviam ter a possibilidade de procriar*

Morango Azul disse...

Essa dita "comissão" não passa de mais um organismo inútil que existe para se dizer que há estado social mas na prática é mais um antro de gastos e custos para a malta pagar. Sustenta funcionários públicos que passam o dia a coça-los.
Tenho dito.